top of page
BANNER-BG (1).png

Como criar Redes de Tubulações com dados GIS no Civil 3D

Atualizado: 22 de dez. de 2022

A integração da Modelagem da Informação da Construção (BIM) com os dados geográficos dos Sistemas de Informações Geográficas (SIG, ou em inglês GIS) é chamada de GeoBIM na FF Solutions e, como vimos, pode trazer muitos benefícios nos projetos no setor de Arquitetura, Engenharia, Construção e Operação (AECO).


O Civil 3D é um software robusto para o desenvolvimento de projetos de infraestrutura no âmbito das soluções Autodesk e que possibilita trabalharmos com o GeoBIM. Neste artigo, descubra como criar redes de tubulações no Civil 3D a partir de dados geoespaciais!


Leia também:

A importância do GeoBIM em Projetos de Infraestrutura


Como configurar o Civil 3D para trabalhar com dados geoespaciais

Antes de iniciarmos com os dados geoespaciais é necessário configurar o software com as unidades corretas e o sistema de coordenadas.

Na Toolspace, em configurações ou Settings, com o botão direito do mouse é possível editar as configurações do desenho atual. Lembre-se, caso a aba Settings não estiver aparecendo para você, basta ir na ribbon Home, em Palletes e clicar no símbolo de engrenagem ⚙️.


Como editar as configurações no arquivo do Civil 3D. Fonte: Autoral

Na janela de diálogo, na aba Units and Zones é possível configurar as unidades de comprimento e de ângulos do desenho, assim como, escalas e sistemas de coordenadas. No exemplo do artigo, estou utilizando o sistema de coordenadas SIRGAS 2000 UTM / 23S.

Configurações de Unidades e de Zona no Civil 3D. Fonte: Autoral

Formatos de Importação de dados GIS no Civil 3D

Uma vez que o desenho do Civil 3D está configurado, podemos tratar agora sobre importação de informações. Em relação aos dados geoespaciais, existem opções interessantes para promover o GeoBIM no desenvolvimento dos projetos.


Em um artigo anterior, falamos sobre as informações geoespaciais que são importantes em obras de Abastecimento e Distribuição de Água Potável, Esgotamento Sanitário, Drenagem e Manejo de Águas Pluviais Urbanas.


Por meio do comando MAPIMPORT no Civil 3D é possível importar diferentes formatos de dados geoespaciais, incluindo o formato ESRI Shapefile .SHP e o formato Autodesk .SDF.


Pelo comando MAPIINSERT no Civil 3D, o usuário pode importar formatos de dados do tipo raster para o desenho atual. Dentre os formatos aceitos pode-se citar por exemplo o USGS Digital Elevation Model .DEM e o Tagged Image File Format .TIFF.


Mais informações sobre esses comandos você consegue acompanhar no artigo em inglês no site da Autodesk: How GIS data can be imported into AutoCad Civil 3D


Como criar Redes de Tubulações a partir de SHPs

Além dos comandos do Civil 3D que citei, existe também o comando IMPORTGISDATA. A partir dele podemos importar um arquivo no formato ESRI shapefile e utilizá-lo para a criação de redes de tubulações por gravidade (pipe networks).

1. Digite IMPORTGISDATA na barra de comando.

2. Na caixa de diálogo que abrir, em Connect to Data, especifique o caminho da pasta base com os arquivos shapefile clicando no ícone representado pelo arquivo+lupa.

No exemplo, vamos usar um shapefile para a estruturas da rede de tubulações (structures) e outro para as tubulações (pipes).


Importando dados GIS no Civil 3D: Pasta de Referência. Fonte: Autoral

3. Uma vez que definir o caminho dos arquivos, clique em Connect.

4. As próximas páginas de configuração serão habilitadas e seguimos clicando em Next.

5. Em Object Options, podemos definir o nome da rede de tubulações, adicionar descrições, escolher o catálogo de peças (part list), adicionar superfícies ou alinhamentos de referência e por fim, adicionar estilos de labels.


Importando dados GIS no Civil 3D: Opções da Rede de Tubulações. Fonte: Autoral

6. Uma vez realizadas essas configurações, podemos passar para a próxima etapa clicando em Next.

7. Em Schema and Coordinates, conseguimos visualizar os sistemas de coordenadas dos arquivos da pasta base. Lembre-se que é importante atentar para o sistema de coordenadas dos arquivos para evitar distorções e problemas de localização dos objetos.


Importando dados GIS no Civil 3D: Sistemas de Coordenadas. Fonte: Autoral

8. Clicando em Next, começa a parte mais interessante do GeoBIM, a partir daqui podemos mapear as variáveis que estão na tabela de atributos do shapefile para propriedades no Civil 3D.

Basta clicar em um campo da coluna Imported data field e escolher qual coluna do arquivo shapefile corresponde para cada propriedade no Civil 3D. Na coluna Imported data unit podemos indicar também a unidade das informações.

Por exemplo, no arquivo shapefile de exemplo tinha uma coluna chamada Material. O Civil 3D reconheceu automaticamente essa coluna com a propriedade correspondente da tubulação. O mesmo ocorreu na propriedade Diameter. E assim por diante podemos fazer o mapeamento para as tubulações (pipes) e as estruturas (structures).


Importando dados GIS no Civil 3D: Mapeamento de Tubulações. Fonte: Autoral

Para facilitar esse processo e não precisarmos mapear as colunas a cada importação, podemos salvar (Save data mapping) o mapeamento em um arquivo .XML e depois apenas carregar ele (Load data mapping) quando formos repetir o comando!


Importando dados GIS no Civil 3D: Mapeamento de Estruturas. Fonte: Autoral

9. As abas Query Options e Clean Up estão relacionadas com configurações finais de seleção dos objetos a serem importados e de limpeza de objetos não válidos nos shapefiles.

10. Pronto, em Finish, o Civil 3D processa todas as informações e importa os dados geoespaciais, sendo esse o resultado no nosso exemplo:


Rede de Tubulações criada a partir de Dados GIS. Fonte: Autoral

Para mais informações sobre o comando tratado nesse artigo, acesse gratuitamente essa aula do Autodesk University: A Practical Guide to GIS in Autocad Civil 3D


Gostou de aprender como utilizar os dados GIS para criar redes de tubulações no Civil 3D? Isso é só um dos potenciais que temos com o GeoBIM!

Quer aprender como aplicar os principais fluxos para o desenvolvimento de projetos geométricos de rodovias ou de projetos lineares de saneamento? Conheça agora mesmo nossos cursos Modelagem BIM com Civil 3D e Automatização BIM com Dynamo para Civil 3D e torne-se um especialista.


Sobre o autor:

Matheus Lima é Engenheiro Civil pela Universidade de Brasília (UnB). Experiência em Projetos de Infraestrutura com uso do Building Information Modeling (BIM) e Geographic Information Systems (GIS). Atualmente aluno do Master BIM para Infraestruturas, Engenharia Civil e GIS da Zigurat Global Institute. Fundador da página no Instagram @bim_infra. Professor de cursos livres de Projetos de Estradas com os softwares Autodesk Civil 3D e Infraworks.


bottom of page